Observatório da Educação

O que é o Observatório da Educação

O Observatório da Educação é um Programa que tem como objetivo estimular o crescimento da produção acadêmica e a formação de recursos humanos pós-graduados, nos níveis de mestrado e doutorado, por meio de financiamento específico. A parceria entr a Capes e o Inep prevê que regularmente sejam abertos editais convidando a comunidade acadêmica para apresentar projetos de estudos e pesquisas na área de educação, envolvendo os programas de pós­graduação de mestrado e de doutorado das Instituições de Educação Superior (IES).

Histórico

  • O Observatório da Educação foi criado por meio de decreto presidencial (Decreto nº 5.803 ) em 08 de junho de 2006.
  • No dia 20 de junho do mesmo ano, a Capes, em parceria com o Inep, lançou o primeiro edital do Programa e convidou a comunidade acadêmica a apresentar propostas de projetos de estudos e pesquisas. Das 84 propostas apresentadas, 28 foram recomendadas e se tornaram projetos apoiados, com prazo de duração de até quatro anos. Juntos, os projetos recebem cerca R$ 1,8 milhão por ano.
  • Em julho de 2008 foi lançado um novo edital, desta vez com apoio também da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do Ministério da Educação (Secad/MEC), que veio reforçar a parceria existente entre o Inep e a Capes. O novo edital apresenta aumento significativo no aporte de recursos ao Programa, que passaram a ser da ordem de R$ 5,5 milhões anuais – para capital e custeio.
  • No dia 10 de novembro, serão conhecidas as propostas selecionadas para receberem o financiamento do Observatório da Educação. Atualmente, 28 estudos são financiados pelo Observatório. Nesta edição foram apresentadas, ao todo, 60 propostas, das quais 39 são de núcleos locais – programas de pós­graduação stricto sensu que atuam isoladamente e 21 propostas em núcleos de rede, que envolvem pelo menos três diferentes instituições de educação superior.
  • Nesta edição, foram apresentadas, ao todo, 60 propostas, sendo 39 de núcleos locais, ou seja, programas de pós-graduação stricto sensu que atuam isoladamente, e 21 propostas em núcleos de rede, que envolvem, pelo menos, três diferentes instituições de educação superior.
  • Do total de propostas apresentadas, 33 se referem à Educação Básica; sete, à Educação Continuada; uma trata de Educação de Jovens e Adultos; uma, de Educação Especial; duas abordam a Educação no Campo; três, a Educação Profissional e Tecnológica e 13 se referem à Educação Superior. 
  • A comissão responsável pela análise dos projetos é composta de 18 membros. Entre eles figuram a diretora de Estudos Educacionais do Inep, Elaine Toldo Pazello, e o diretor de Educação Básica Presencial da Capes, Dilvo Ristoff.

Finalidade

O Observatório da Educação tem como finalidade contribuir para a criação, o fortalecimento e a ampliação de Programas de Pós-graduação stricto sensu na temática da educação, bem como das áreas de concentração em educação nos Programas de diferentes áreas do conhecimento. Pretende ainda incentivar, criar e desenvolver programas de pós-graduação interdisciplinares e multidisciplinares que contribuam para o avanço da pesquisa educacional, além do aumento da produção acadêmica e científica nas questões relacionadas à educação. Além disso, o Observatório prevê a formação de recursos humanos capacitados para atuação nas áreas de gestão de políticas educacionais, avaliação educacional e formação de docentes.

O Observatório da Educação também pretende promover a capacitação de professores e a disseminação de conhecimentos sobre educação, além de fortalecer o diálogo entre a comunidade acadêmica, os gestores das políticas nacionais de educação e os diversos atores envolvidos no processo educacional.

Composição

O Observatório da Educação é composto por núcleos de professores e pesquisadores, de IES públicas ou privadas, vinculados a programas de pós-graduação strictu sensu. Esses núcleos podem ser locais ou em rede: um núcleo local é composto por, pelo menos, um programa de pós-graduação stricto sensu de uma IES e deve ter ao menos um docente orientador, um doutorando e dois mestrandos ou três mestrandos e até seis estudantes de graduação. Já o núcleo em rede é composto por três ou mais programas de pós­-graduação de IES distintas e, além de possuir três docentes orientadores, cada rede deverá ter no mínimo nove doutorandos ou pós-­doutorandos ou nove mestrandos e até dezoito graduandos.

Esses núcleos de estudos devem desenvolver linhas de pesquisa voltadas à educação, em torno dos eixos temáticos listados abaixo:

  • Educação básica;
  • Educação superior;
  • Educação profissional e tecnológica;
  • Educação continuada;
  • Educação de jovens e adultos;
  • Educação especial;
  • Educação no campo;
  • Educação quilombola;
  • Educação integral;
  • Educação a distância.

Áreas Temáticas Prioritárias

  • Avaliação institucional e da aprendizagem;  
  • Indicadores de qualidade do ensino-aprendizagem, do trabalho didático e da carreira docente;  
  • Indicadores de desempenho dos sistemas de ensino; determinantes da qualidade de ensino;  
  • Educação e desenvolvimento;  
  • Financiamento da educação;   
  • Mercado de trabalho e educação;    
  • Demografia e educação;   
  • Análise do fluxo escolar;  
  • Educação e inclusão social;  
  • Abordagens multidisciplinares de áreas de conhecimentos afins;   
  • Ciências humanas, ciências da natureza e linguagens.
Página atualizada em: 20 outubro 2015